sexta-feira, 29 de abril de 2011

Vinho à Ribeiro


Lambrusco, Safra 2008. Roso, Campegine (RE) Itália... Este é o meu companheiro nesta madrugada... (e muitos amigos madrugueiros que nos acompanham no twitter)

Ele foi comprado para ser dado a uma determinada moça... Sim, esta mesma moça ganharia também uma caixa de chocolates especiais que também já fora consumida...

E nesta madrugada solitária meu frigobar me convidou para um drink...

Uma taça apenas?

Não! Beba mais! Se despeça de seus sonhos, esperanças e expectativas...

Este vinho doce, frisante, suave e delicioso está aqui dentro de mim agora, como meu sangue...

Era pra ser de alguém, alguém que não acreditou em minhas sinceras intenções...

Ó vinho... Saúde! Saudade de alguém que nunca tive e que o destino um dia me negou amar...

Venha, Vinho! Pernoite ao meu lado...

Desça suave minha garganta rouca... E mesmo que me encontre sem roupa, respeite meu pernoitar!

Um brinde!

A todo aquele que ama em segredo e bebe em público!

Anjo ou demônio?



É diante do teu olhar que me tremem as dores

Não sei onde pairam meus medos ou amores

O Sol, destemido, triunfante, acusa-te

Quão desesperador é o infarto? Parto!

Os teus olhares que me perseguem

Pele e gemidos, dores e gritos...

O uivo mais agudo é aquele que fica mudo.

Não importa a distância, o pensamento chega lá

E mesmo distante se faz presente como cá

O cisco não é a causa da lágrima

Adianta mentir? Às vezes sim... Minto!

O sussurro rasga o véu da noiva,

Mais rápido que o noivo rasga o hímen

Um grito é ouvido, em seguida calado

Não há pudor. Eles assim se definem

Mesmo no escuro enxergo o teu olhar

Pecadores, estaremos a pecar...

E no inicio do teu funeral

Toca-se a marcha imperial

Possuídos por tantos males, decaptados

Ó deuses do Olimpo, perdoem meus pecados

Peço perdão sabendo que não mereço...

Discuto minha honra com aqueles que nem conheço

Faltam em mim virtudes de rei. Mentira.

Os defeitos que me sobram,  compartilho contigo

A alma busca intensamente um receptáculo, cru

Nem que eu queira serei como tu!

A noiva chora o sangue perdido, buscando fôlego

Coragem, mulher! Vai já acabar... não acaba

Anjo ou demônio, um dos dois eu hei de ser...

Indeciso na escolha, mas tenho que escolher

Nada me amedronta mais que a solidão...

Não quero cicatriz nova no coração

O desespero é a armadura em peito aberto

Afasta-te, ou te mato! Ultimato!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Gweneth Paltrow & Huey Lewis - Cruisin

Música presente na reflexão abaixo...
Que me tocou profundamente...
Deixo com vocês a tradução (do refrão)


"Então deixa a música controlar sua mente
Apenas relaxe e você descobrirá
Você vai voar para longe
Fico feliz que você esteja no meu caminho
Adoro enquanto estamos viajando juntos

A música é tocada para o amor
Viajar é feito para amor

Adoro quando estamos viajando juntos."

Apaixone-se

Aperta o play e deixa rolar...

quarta-feira, 27 de abril de 2011

E o Tempo?

Quanto tempo dedicamos a coisas, pessoas, comportamentos, conceitos, futilidades e afins de maneira equivocada?

Salve madrugueiros e madrugueiras! A pergunta acima talvez não tenha resposta... E é provável mesmo que não tenha... Sim, eu já perdi muito tempo! E acredito que o tempo mais perdido de todos é aquele desperdiçado em relacionamentos sem futuro. Relacionamentos de toda sorte, sentimental (namoro, noivado, casamentos, casos), profissional (cliente, empregado, fornecedor, parceiro), de amizade (colegas de copo, chegados de pelada, companheiros de farra). Pois bem, tente lembrar algumas pessoas que você conheceu, teve algum tipo de relacionamento com elas e que hoje você olha pra trás e se pergunta: "Como eu fui me envolver com esta pessoa?".

É duro! Mas é uma realidade que precisamos encarar: As pessoas não são culpadas por nos decepcionarem, a culpa é nossa! Sim, nossa, porque somos nós que permitimos que as pessoas, que nos decepcionam por quaisquer motivos, se aproximem da gente. A culpa é nossa... E agora personificando a coisa: A culpa é minha! Fui eu que contratei aquele mecânico mais barato pra ver o meu carro. Fui eu que acreditei que aquele cara super legal era meu amigo. Eu mesmo comprei aquela blusa acreditando na vendedora. Fui eu mesmo que acreditei que as juras de amor eram reais. Fui eu que compartilhei segredos e os vi dias depois na boca do mundo.  Quanto tempo perdido! E a culpa é minha!

Aí, você, que costuma acusar as pessoas que se relacionam contigo por serem falsas, mentirosas, infiéis, desonestas, manicacas, desleixadas e com diversos adjetivos impronunciáveis na televisão sem o "piii", se pergunta: Como posso ser culpado pelo erro dos outros? Sendo! Quem confiou na amiga? Quem seguiu o conselho do cliente? Quem deixou o cartão de crédito com a esposa? Quem emprestou o celular pro primo? E ainda quer por a culpa nos outros? Tenha dó! O tempo desperdiçado com pessoas que não mereciam nenhum tempo, fará falta em algum momento de nossas vidas. E precisamos pensar sobre isso!


Antes de continuar peço que pense um pouco nas últimas pessoas que te fizeram perder tempo. Pense nelas!

Algumas pessoas nos fazem desperdiçar um bem tão precioso. E somos responsáveis por isso. Se você pudesse mudar o passado e não dedicar tanto tempo assim a estas pessoas, o que você faria diferente? Atenção! Você não pode mudar o passado! Mas nada te impede no presente de mudar o futuro! Então reflita comigo: Com quem estou perdendo tempo hoje? Ou ainda, com o quê? Será que este tempo me fará falta amanhã, como está me fazendo falta hoje o tempo perdido de ontem?

É aí que a coisa muda de figura. Se o tempo é um bem precioso, precisamos tratá-lo como tal. Eu cansei de perder tempo, o tempo perdido está me fazendo falta, não tenho como processar as pessoas que me fizeram perder meu caríssimo tempo. Cansei de perder tempo com gente que fala mal dos amigos. Cansei de perder tempo com mulheres que são mais vazias por dentro que uma bexiga. Cansei de perder tempo com empresas que não respeitam os clientes. Estou cansado de ouvir desculpas esfarrapadas sobre tudo. Já deu! Cansei de desperdiçar meu tempo, minha atenção, meus ouvidos com gente amarga que só sabe reclamar da vida, do governo, da vilã da novela e do marido ruim de cama. 

Se você tem tempo livre, não o desperdice com pessoas que só querem tomar o seu tempo. Fique atento aos vampiros do tempo. Só me faça um favor, não se torne este vampiro...

Enquanto você aceitar que as pessoas te roubem o seu tempo você será o culpado pelo roubo.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Colares de Estrelas



Que bom seria 
Se tivesse um dia 
Colares de estrelas 
Em pura nostalgia

Como posso parar 
Se não consigo sonhar
Como posso viver 
Se não consigo sofrer

Queria dizer 
Mas não sei o quê
Por isso vou te 
Fazer parar de sofrer


E quando conseguir 
Estarei a Correr 
E assim irei te dizer: 
Não aprendi a mentir 

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Páscoa...

A Semana Santa acabou. Estamos vivendo o Tempo Litúrgico da Páscoa, pra você que por ventura não é católico, explico: O calendário litúrgico não possui meses, mas tempos e este é o Tempo da Páscoa.

Pois bem madrugueiros e madrugueiras... Não postei nada no feriadão, pois pra mim a semana santa é tempo de introspecção e recolhimento... e neste tempo de reflexão, procissão, penitência e fé me veio a inspiração para um novo texto, uma nova reflexão, um novo momento em suspenso no ar por anjos de luz que iluminam o canto escuro da sala...

A fé, meus caros, é um instrumento musical: precisa ser afinado, tocado de maneira correta para produzir melodias... Se você não exercita a fé, ela atrofia, perde a força, o sentido e se torna inútil. E quando reflito sobre a fé, a páscoa e tudo o que ela representa, há alguém que me vem à memória: João Paulo II. Sim o nosso João de Deus. Que exemplo de homem, um pai dedicado, sim pai, pois ser um PAPA é ser pai de bilhões de pessoas, pai de fé. João Paulo Segundo foi mais que um exemplo, foi uma inspiração.

Se alguém tentasse te matar, puxasse uma arma e disparasse contra você... você iria na cadeia visitar tal pessoa pra lhe dizer "eu te perdôo por tentar me matar"? Pois foi isso que Karol Wojtyla, não por demagogia, mas por saber da importância de perdoar aqueles que nos querem mal, fez... Se fosse com você? Se alguém te dá uma fechada no trânsito? Se te deixam esperando? Se o teu salário atrasa? Se esquecessem do teu aniversário? Se te botassem um chifre? 

O que é pior? Será que alguma dessas coisas é pior que tentativa de assassinato? Pois é...

Poucos homens no mundo possuem o dom do perdão, e os que possuem merecem nosso total respeito e admiração. João Paulo II só por isso já teria crédito de sobra, mas o homem parou guerras, visitou mais países que qualquer estadista, modificou e desmistificou dógmas de fé, foi alguém à frente do seu tempo... E agora dia primeiro de maio ele será beatificado. Na minha opinião, uma injustiça, ele merecia ser beatificado em vida. Mas enquanto papa ele não poderia beatificar-se a sí mesmo.

Eu saio da Semana Santa com a fé revigorada... É o meu feriado preferido, reunir a família, ter momentos especiais de fé e conversão...

E é neste momento que eu te pergunto: Como tá a sua fé? O que você tem feito pelo seu próximo? Quem você precisa perdoar? A quem você deve pedir perdão? O que o rancor acrescentou na tua vida? O que o ódio te trouxe de bom até agora? Você é um ser humano ou um rato?

Por que você tem medo de ir à luta por aquilo que você realmente quer?

João Paulo II fez mais por mim e por você do que podemos imaginar, mas só fez porque venceu os seus medos...

Salve João de Deus... Beato! 


Apenas a título de reflexão... Clica no play

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Pare pra Pensar...



Se um dia você estiver perdida
Como lebre perseguida
Procure sentar‑se e parar pra pensar
E pense no que pra ti é suspense
Na tua vida que tu achas mal vivida
Pense no passado
Naquele amor complicado 
Pense no agora, 
Que nesta hora se põe a ti ouvir, 
Pense também em você, 
Mas pensando em mim, 
Ponha pra fora a emoção
Deixe que o seu coração
Faça isso por ti:

Pense no ontem
Pense no agora
Pense no hoje
Pense na hora

Já que pela emoção
Tu perdestes a razão
E sem saber o que querer
Deixou morrer teu coração
Pense nisso, pense naquilo...
Mas saiba que jamais passará disso
Pois não estás a pensar
Quem está pensando sou eu
E por isso o teu pensamento 
Que era tão belo, de nós esqueceu 
E ele fez pior, pois mais adiante
Ele quase morreu... 
Procure sempre pensar:

Pense antes de falar
Pense antes de beijar
Pense antes de viver
Pense antes de morrer

Pois se assim planejar
Estará todo dia aprendendo a amar...
E como não há coisa melhor você nunca irá parar

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Ah, o Amor...



E então me vejo só...

Preocupado? Ô dó!

O espaço dado a mim não será em vão!

E onde está o amor? Quem?

O amor... o psicodélico instrumento da magia...

O destino empoeirado da alegria

Ah... se eu soubesse disso antes!

O destino traça metas pros corações...

Uns alcançam, outros desistem, o meu persevera...

Ter meta é ter foco, ter amor é ter desafetos.

Nada incomoda mais que o amor.

Aos que o possuem em silêncio... Incomoda

Aos que não o conhecem... Incomoda

Aos que o perderam, a estes incomoda muito...

É, quem sabe um dia poderei amar sem ser incomodado?

Ou deixar meu coração aberto para um bem exagerado?

Amar, objetivo de vida. Infinito destino complicado.

É diante da verdade que o coração palpita...

Isso é amar? Pergunta a jovem carmelita...

Adoro o gosto da conquista, de pulsar o peito...

O desafio de buscar no alto da árvore o fruto perfeito

Você e eu de mãos dadas... dois palitos... (rachi)

O coração continua buscando o amor... Seguro.

Uiva o vento. Espero o sopro fexar a janela...

Cadê ela?

Ahh! Ela... que nome terá? Sei lá!

Amor, ó amor, invada minha alma!

Suba as escadas do meu coração...

Encontre sua morada e me faça feliz...

Mergulhe em meu ser e me faça sorrir

Amor, destrua tudo que encontrares...

Não deixe pedra sobre pedra...

Construa um palácio seguro num campo minado

E antes que se perceba, amando estará. Amor!

Enquanto os devaneios me invadem, procuro...

E não sei se encontro a minha verdade... A cura.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Senna em Cena.






Saudade. Eis o termo mais correto para iniciar este novo texto. Sim madrugueiros e madrugueiras, eu sinto saudades de Ayrton Senna da Silva. Não da pessoa, pois nunca o conheci, mas do exemplo. Não preciso de uma data especial pra re-lembrar alguém que foi importante em minha vida, e acreditem o Senna foi. É o tipo de cara que te inspira, que te faz vibrar, que faz as coisas parecerem mais fáceis.

Muita gente colaborou na construção do meu caráter, mas é engraçado como os que já se foram parecem ser os que mais colaboraram. Exemplos como Ayrton Senna, Baltasar Gracián, Alexandre Magno, Martin Luther King, Ghandi e tantos outros cujas histórias, feitos e ensinamentos perpetuam-se na eternidade. Mas de todos os citados, só fui contemporâneo de Senna e isso faz uma grande diferença.

Era tão bom acordar cedo no domingo e correr pra sala pra assistir a corrida... Mesmo muito novo, sem entender muita coisa de estratégia, eu sabia que havia uma máquina e havia um homem e que tudo poderiam fazer juntos. E isso era algo inspirador. O Senna não corria sozinho, levava consigo milhões de pessoas, milhões de brasileiros que precisavam de uma dose semanal de motivação ofertada gratuitamente por um gênio. Eram tempos difíceis, economicamente falando e politicamente falando. Mas um país inteiro se unia diante da TV para acompanhar os feitos, daquele que é considerado por muitos, o maior piloto da história do automobilismo mundial.

Sinto falta disso. Sinto falta de ter alguém hoje em dia que possa me inspirar. Vejo nossa juventude sem identidade, sem bons exemplos, sem alguém realmente vitorioso pra quem elas possam olhar e dizer “quero ser como ele(ela) quando crescer”.  Não existe tal pessoa no Braziw. Quem tinha potencial pra sê-lo desperdiçou as oportunidades.  Uma decepção para muita gente.

E as pessoas que os jovens de hoje se inspiram são mais jovens que muitas delas. As tais bandas coloridas, ex-bbb’s, celebridades instantâneas, que não passam de marionetes nas mãos de marqueteiros, entram na vida das pessoas e as deixam piores. Sim piores, porque não me entra na cabeça qual o exemplo positivo que alguém pode tirar de ser um “ex-bbb” ou de ser um vocalista de uma banda que jura de pé junto ser de rock e que não passa a imagem realmente de um homem, mas de alguém quase andrógino.

Meu ídolo pegava a Xuxa no auge de sua forma. Arroxava a Adriane Galisteu quando ela ainda era bonita (tá bonitinha, ok, quando ela era pegável). Senna inspirou toda uma geração. Por todos os bons exemplos que ele deixou. Se você nasceu entre 75 e 89, parabéns, você faz parte de uma era especial, teve na infância/adolescência os melhores exemplos, tenho certeza que você tem uma profissão digna, deve ser também um bom pai/esposo (mãe/esposa) e se ainda não é nada disso, tem potencial pra ser. Porque crescemos ouvindo o “tema da vitória”, crescemos ouvindo “pelados em Santos, assistindo às lutas de 10 segundos do Mike Tyson e jogando Mário no super nintendo.

Temo por aqueles que nasceram nos anos 90 e não tinham um irmão mais velho que curtia rock de verdade. Eu sempre fui o irmão mais velho.

É hora de revermos conceitos e repensarmos atitudes. Quando o Senna entrava em cena normalmente era pra vencer ou dar espetáculo. E você quando entra em cena, faz o quê? 

sábado, 16 de abril de 2011

Motivo



Uma rosa,
maravilha tão cheirosa, 
que te faz tão prazerosa 
fonte inesgotável
de sorrisos e abraços
de beijos e retratos
motivo de muitas mortes, 
para uns é pura sorte
e a outros se faz forte, 
como o vento rumo ao norte
passageira tão sincera
porta-voz da primavera
amiga companheira
como árvore fruteira
não sei dizer...
só sei que um dia
por uma rosa
irei morrer
para assim
poder viver

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Música à Ribeiro

Feliz Navidad

North Point's iBand  

Ps.: Eu sei que estamos na páscoa e a música é de natal... Mas é pela arte, pela música pela inovação. Curte aí!

quinta-feira, 14 de abril de 2011

O Que é Sinceridade?

 
Hoje recebi uma ligação de uma amiga pra tratar de assuntos profissionais. Ela estava indo buscar uma de suas duas filhas na aula e durante o trajeto me ligou para receber maiores informações sobre um cliente em potencial que eu havia dito pra ela mais cedo. No meio do diálogo falamos sobre feedback e de como as crianças são excelentes nisso. Então, eu disse-lhe: você acaba de me dar uma inspiração para o texto desta noite do Madrugada...

E aqui estou eu, deitado no conforto do meu lar, ouvindo uma boa música, apreciando o universo e toda criação Divina e ao mesmo tempo escrevendo este texto especialmente para todos que esqueceram como é bom ser criança. Isso mesmo, você cresceu, virou um adulto chato, cheio de manias, de regras. Cheio de moralismo e provavelmente com alguma hipocrisia estampada no seu sorriso forçado.

Talvez você não lembre de como é bom ser criança. Eu sou criança, assisto desenho animado, choro nos filmes, leio quadrinhos, jogo video-game, brinco com meus animais de estimação e também com minhas irmãs e primos. Sim, eu sou adulto, trabalho, tenho contas a pagar, horários pra cumprir, metas a alcançar, prazos pra executar, cargos em instituições sérias, compromissos com minha classe, trabalhos sociais e afins. Por mais contraditório que pareça, os dois seres distintos aí em cima são a mesma pessoa: Eu.

Agora te pergunto: Por que você esqueceu a criança que você foi um dia? Será que você foi contaminado pelo vírus dos adultos chatos que só sabem reclamar do governo, falar mal da amiga, criticar o trabalho do colega e fazer pouco do carro do vizinho? Será que esta atitude seria aprovada pela criança que você foi um dia? Será que você-criança sentiria orgulho de você-adulto

Algumas pessoas ainda não chegaram nesta parte do texto refletindo sobre a última pergunta. Então madrugueiro, você que já refletiu sobre a última pergunta, o que será que te falta? Eu aprendo muito com as crianças e sou antipatizado por algumas pessoas exatamente por apresentar um comportamento infantil às vezes, mas não ligo pra isso. Vou continuar sendo sincero, apresentando minha opinião, rindo quando não pode rir e dando de ombros pra muita chatice do mundo. Ser adulto é muito chato.

Sou sincero, não me esquivo dos meus sentimentos, de dar minha opinião, sou criança. Pergunte a qualquer criança se ela gosta de determinada coisa, se ela gostar, dirá que sim, toda empolgada e com os olhos brilhando, se ela não gostar é provável que ela nem responda e feche a cara, numa atitude de total reprovação ao assunto em questão. Seja criança! Viva seus sentimentos de maneira sincera, sem medo de represálias, encare o mundo com alegria e se você não gosta de algo, pra que mentir e dizer que gosta?

Ser um adulto chato e intolerante é bem pior do que ser uma criança sem sonhos... Então, lembre do seu lado criança, ande de bicicleta, assista desenho animado, leia gibi, faça bolinhas de papel pra jogar no colega de trabalho e diga que não foi você (mesmo tendo só vocês dois na sala), eu sei que você está sorrindo agora... é este sentimento que deve te acompanhar... Não leve a vida tão a sério, um pouco de jovialidade e humor melhoram tudo.

Seja clianxa! Ser clianxa é munito! 

quarta-feira, 13 de abril de 2011

O Meu Sorriso




Sim, este aí em cima é o meu sorriso! E você não imagina o quanto eu tenho orgulho destes dentes. Foram estes dentes que expuseram minha felicidade em muitos dias. Sabe, eu estou realmente feliz, motivado, animado e acima de tudo, com os pés no chão.

Este mês particularmente tem sido pitoresco em vários aspectos. Eu conheci muita gente nova, re-encontrei pessoas que há mais de dez anos não via e descobri que tenho muitos motivos pra sorrir, muitos mesmo. De tantas frases que ouvi este mês teve uma que me fez refletir muito: "é que sua boca não passa despercebida em lugar nenhum". Incrível, mas eu fiquei imaginando uma série de coisas, a pessoa que disse isso mal me conhece. Me viu poucas vezes e conseguiu observar algo que nem eu mesmo havia observado.

Aí eu comecei a pensar sobre "O Valor do Sorriso". Quem me conhece sabe,  eu não me esquivo de sorrir, tenho uma amiga que me chama de "Dani-Sorriso", é algo do meu ser, é natural. Refletindo, pensei quanto custa o meu (o seu) sorriso... É difícil mensurar isso, mas vamos lá... Eu sempre estou sorrindo (pelo menos em público) e eu faço isso porque tenho motivos sinceros para tal. Mas quanto se gasta pra sorrir? É caro? Dói? Por que então eu (você) fico de cara fechada? Por que evitamos sorrir pras pessoas, como se isso fosse nos diminuir? 

Onde está o seu deus agora?

É madrugueiro,  será que você não está sendo muito ríspido com as pessoas à sua volta? O que você ganha ao negar um sorriso ao mundo? E o que você perde?

Então pensando sobre tudo isso eu me vi diante de outra realidade acerca do meu (do seu) sorriso: Existem pessoas que não querem de maneira alguma nos ver sorrindo... Sabe, gente baixa, mesquinha, avarenta, podre, ôca, sem escrúpulos e com tantos adjetivos piores do que estes que minha religião nem permite citar. É... Tem gente assim, e convivemos com elas... Pessoas que sempre estão com o veneno na ponta da língua, gente que fica feliz em ver o sorriso se converter em lágrimas. Gente que ofende, mente, engana... Este tipo pode estar aí do seu lado agora... Ou pode ter te ligado do trabalho só pra dizer que está com saudade, cuidado.

E talvez seja por isso que venenos de vários lugares são direcionados à mim: Eu não me esquivo de sorrir. E isso incomoda. Não pense "o Daniel se acha" pois talvez você não me conheça suficiente pra ter uma opinião ao meu respeito, (o texto "A Capa do Livro" pode ser útil se você pensou isso) então aqueles que se incomodam com o meu (o seu) sorriso vão fazer de tudo pra me tirar ele do rosto... E algumas vezes tiram... Eu já chorei muito na vida, tenho certeza que você também já chorou e talvez ainda chore... Pense bem, quantas vezes você chorou por culpa de outra pessoa? Por algo que ela lhe fez? Por algo que ela lhe negou? Por algo que uma terceira pessoa que não tinha nada a ver com tua vida inventou sobre você?

Alguns sorrisos são convertidos em lágrimas, porém, como uma fênix imortal devemos levantar nossos olhos para o alto e ver o quão longe podemos chegar, armados com um sorriso sincero, ofertado gratuitamente...

Se você me encontrar em algum lugar, observe bem, eu estarei sorrindo. 

terça-feira, 12 de abril de 2011

Um Sonho Que Poderia Ser um Filme

Esta noite eu tive um sonho... Mais que um sonho, um thriller de suspense e ficção como eu nunca vi no cinema. Uma mistura de Castlevânia, Futurama, X-Man e coisas que nunca foram criadas ou existiram. Em minha memória flashs do sonho surgem e estou tendo dificuldades para lembrar de todos os detalhes...

O sonho é atemporal. Portanto eu me vi num futuro muito estranho, não saberia precisar o ano, mas não era nada antes de 2200. O ambiente era mais escuro, poluído, as poucas pessoas que conviveram comigo no sonho tinham uma aparência quase cibernética com equipamentos e aparelhos simbióticos. Celulares eram implantes de braço que também eram computadores ultra potentes e que flutuavam. Tudo muito confuso e eu não tive tempo de ler os manuais de instruções de nada que vi.

Eu era uma espécie de policial/guardião de um prédio. Um edifício de poucos andares onde eram desenvolvidas tecnologias biológicas, modificações genéticas, implantes de "poderes" em pessoas comuns tudo a um preço muito elevado. Lembro da moeda corrente: Yabtes (aparentemente o mundo havia sido destruído por uma guerra, as economias mundiais eram mais equilibradas e o Yabtes era a moeda mais valorizada da época - seria o equivalente ao Euro)

Aconteceu algo. Um ex-funcionário da empresa que eu tinha que proteger invadiu o setor vermelho, um local onde eram desenvolvidas tecnologias de implantes genéticos. O ex-funcionário aplicou em si mesmo vários itens em fase de testes, ele sofreu várias mutações, gens de animais e extra-terrestres foram inseridos nele. Sua aparência foi totalmente modificada. O nosso encontro ainda demoraria pra acontecer. Mas eu vi pelos sistemas de vigilância suas modficações.

Ao ser chamado pra atender a ocorrência, um dispositivo luminoso em formato de arma ativou um alarme que me passou informações sobre toda a situação e o nível de perigo que eu iria enfrentar... Bom, minha arma era um misto da Cruz do Gabriel (Castlevânia) com a Serra do Char (Dead Space 2)...

A partir daí a coisa começou a esquentar... e animais muito estranhos tentaram impedir minha entrada no prédio e não me pergunte de onde surgiu um rio infestado de jaguatirícas venenosas com olho de ciclope. Eu sei que havia uma grade de proteção em volta do rio, e eu tinha que atravessar tudo isso...

Quando finalmente cheguei na sala onde o "vilão" estava uma luta incrível aconteceu. Objetos eram atirados em minha direção e desintegrados com minha arma ultra potente que me concedera uma armadura metálica no tórax. Deu trabalho paralisar aquele ser transformado. Na tentativa de fuga ele cometeu um erro, virou as costas pra mim... e como a Cruz do Castlevânia libera uma corrente, minha arma fez o mesmo e eu o acorrentei... 

Acordei assustado, às quatro da manhã... A madrugada foi tensa, agitada e no final o bem venceu o mal e eu tive uma visão do que (quem sabe) poderá ser o futuro...

Vamos voltar a dormir...

domingo, 10 de abril de 2011

Arte.


A Arte é Atemporal.

Anonimamente Anseia por Atenção.

Antes de Anoitecer.

Após Aberta, Atrasa, Angustía, Alerta...

Amor.

sábado, 9 de abril de 2011

Atrás da Porta




De tão forte o sentimento


Tão distante o pensamento


Em todo rosto, todo gosto


Que saco!


Felicidade, o que será?


Um amor eterno


Uma amizade verdadeira?


Dinheiro, poder?


Ter-te a vida inteira?


As cores, os rostos...


A distância e o desgosto


O dia de hoje é apenas bom


Não é perfeito, nem eterno


É um dia como outro...


Longo, quente, profundo


Sentimentos se confundem


Com a vida e a com a morte


O vazio e a lanterna


Completam-se sem sorte


O teu rosto surge adiante


Tua voz ouço distante


Mesmo sem amor sou forte


Diferente de não ter vida


É nunca ter tido morte


Um tapa. Uma faca.


A dor expressa numa face


O grito sussurrado no vácuo


E o gemido esquecido no ato


Violência e dor, morte e desamor


Piedade impiedosa


Sangue e lágrimas, verdade!


Não te vejo há anos


E ainda sinto teu gosto.


Ainda penso no teu rosto


É impossível não morrer


Igual a não te querer


Você encanta a planta morta


Eu me escondo atrás da porta


Espreitando você passar


Acredite: irei te conquistar!


(Daniel Ribeiro no dia 28 de maio de 2007)

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Omelete à Ribeiro

Se você ainda não sabe, eu adoro cozinhar. Pra mim a gastronomia é uma terapia muito eficiente e que me economiza fortunas com analista, psicólogos e afins. Quando bate o stress nada melhor que uma faca, uma tábua, um balcão de mármore e um bom fogão do meu lado pra externar sentimentos que talvez me levariam a cometer crimes.

E hoje, chegando do trabalho (que por sinal vai indo muito bem) a fome me lembrou que eu não passei no nosso shopping pra comprar nada pra jantar. Mas as geladeiras dificilmente me deixam na mão. E lá estavam elas cheias de guloseimas (eu acho essa palavra engraçada, diz aí em voz alta pra ver). Assim que vi os ovos na porta da geladeira decidi: Omelete.

Pra você também fazer em casa. Omelete à Ribeiro.

Ingredientes:

  • 4 ovos brancos pequenos ou 3 grandes.
  • 3 fatias de queijo (mussarela, prato, não faz muita diferença)
  • 2 fatias de presunto (presunto, não apresuntado, isso faz diferença)
  • 5 azeitonas sem caroço picadas
  • 1 tomate seco picado (dica: quem usa tomate seco industrial como eu, hidrate o tomate com água e azeite, leve ao microondas por 40 segundos. Em qualquer recipiente apenas cubra o tomate com a água e o azeite)
  • Meia cebola pequena (em torno de 75 gramas)
  • Sal à gosto.
  • Orégano à vontade.
  • Pimenta calabresa.
  • Azeite.
Preparo:

Corte todos os ingredientes em cubos bem pequenos.
Ingredientes Cortados em Cubos.
  Em seguida acrescente os ovos.
Ovos inteiros, nada de tirar gema ou clara.
 Misture tudo com um garfo até obter algo semelhante a uma pasta homogênea.
 Numa frigideira grande previamente aquecida e untada com azeite ou manteiga despeje todo o conteúdo.
 
Vire o omelete.
Dica: se você não tem habilidade pra fazer o omelete girar no ar (algo que não recomendo para iniciantes) Utilize um prato pra auxiliar, coloque a parte que está assada pra baixo, depois vire o prato despejando o omelete inteiro na frigideira.

Depois de virar o omelete deixe assar do outro lado pela metade do tempo que deixou o lado anterior. Assim ele não fica ressecado. Tempo total em fogo médio é de 6 a 8 minutos.

Sirva.

E aproveite.

Bom é isso... Jantei isso hoje, aparentemente dá trabalho, mas não gastei nem 10 minutos pra fazer minha janta... Sirva quente e regue com azeite. Uma Coca Cola bem gelada acompanha maravilhosamente bem.

Música à Ribeiro

Apenas pra postar este vídeo foda incrível de Stjepan Hauser e Luka Sulic



Smooth Criminal - Michael Jackson. 
Sem adjetivos.